Tempo de Solidão

"Tempo de solidão, tempo de exílio."

terça-feira, junho 20, 2006

Todas as manhãs do mundo

Tudo o que eu tenho de fazer é subir aquelas escadas.

De seguida, aproximo-me e dirijo-lhe a palavra, munido de certa razão imaginada. Um plano, um pretexto, não me interessa muito. Mas claro que há fundamento, vontade de ajudar. Nem no impulso consigo ser verdadeiramente irracional.

Credo, estou tão nervoso, nem acredito que as minhas mãos tremem tanto... Ela vai perceber... Já percebeu. Um sorriso envergonhado.. não.. ela é assim mesmo... um embaraço que não é mais do que recato. É o seu encanto. Como adoro o seu sorriso, sempre tão escondido e dissimulado e no entanto simplesmente tão genuíno e feliz. Linda, brilhante.

E não estou preocupado que ela me leia como um livro aberto; a solidão não existe neste momento. É a última coisa que me assola à medida que percorro o caminho de volta, em passo incerto e apressado, de coração e mente cheios. Começo a pensar como fui desajeitado, ridículo, inusitado, mesmo. Suponho que no fundo tudo não terá passado de mais um epísódio tão meu como as coisas que detesto em mim. Aposto que se me esforçar conseguirei odiar os meus actos e encontrar riquíssimas falhas nos meus comportamentos.

Volto a pensar como consigo ser tão desajeitado. Mas só consigo sorrir.

É que, não sendo mais nada, foi um começo.

5 Comments:

At 6:29 da tarde, Anonymous Paulo said...

Como eu te conheço meu amigo... A solidão é a minha companheira eterna porque nos meus erros não vislumbro solução válida que me permita olhar o mundo como no dia em que fui feliz... e agora choro... mas não choro por mim.... choro pelas pessoas que podia tocar e não consigo.

 
At 6:01 da manhã, Blogger ps said...

Todos nós por momentos nos conseguimos odiar...Por um acto cometido,por um gesto contido,pela palavra proferida e até no silêncio nos odiamos.Mas se no coração existir amor mesmo que a solidão seja nossa companheira existirá sempre algum conforto...nem que seja a felicidade de saber que quem amamos é feliz.

 
At 1:24 da manhã, Anonymous Anónimo said...

Olá...Eu acabei caindo neste blog por um grande acaso(se é que o acaso existe..)e os seus textos realmente me chocaram,de uma forma que não sei bem como descrever...ao mesmo tempo me indentificando e enquanto lia era como se sentisse exatamente como você estava se sentindo no momento em que escreveu...
ps.se estranhar o jeito da escrita é porque eu sou brasileira...
ps2.'prefiro viver na ilusão acreditando que o mundo é um mar de rosas à cair na profunda solidão que está o meu coração'

 
At 12:43 da manhã, Blogger Dr. Suicide said...

a verdade é que a vida acaba sendo um lento suicídio.
porém viver uma meia vida pelos outros é algo q não faço...
não sou dos mais otimistas mas sou dos mais vingativos.

 
At 6:55 da tarde, Blogger Andréa Liette said...

porque parou de escrever ?
é sincera sua escrita.

 

Enviar um comentário

<< Home