Tempo de Solidão

"Tempo de solidão, tempo de exílio."

quinta-feira, julho 14, 2005

Situação

Hoje, no trabalho, ninguém estranhou eu estar tão calado. Ninguém fez caso quando o cinzento Vincent não soube dizer que dia era, quando ele se perdeu nas suas frases, quando ele fitava sem nexo e tempo o brilhante céu pintado de inocentes nuvens.

Depois de chegar a casa, notando o vazio e a ausência especialmente imponente de mais um dia na minha vida, recordei um certo texto que escrevi há uns tempos, em que notava a estranha tendência de me mostrar alegre e forte junto das outras pessoas sempre que na verdade a minha alma se atolava em profundas tristezas. Uma contradição nos seus próprios termos, eis o que sou. Uma pessoa assustada e cobarde, sem orgulho ou estima, mas que apesar de tudo se revela sempre incapaz de pedir ajuda.

Como é que isto aconteceu? Como me acho completamente só, sem um amigo, sem uma amiga, sem alguém que me ame?

Quero ser diferente, agora. Quero esquecer-me daquele que sou e apagar a minha vida. Sem me esquecer de ti, e sem perder o meu amor.

A hora é tardia, não o conseguirei...

5 Comments:

At 1:43 da tarde, Anonymous M.R. said...

Dói-me tudo por não ser nada.
Da grande noite embainhada
Ninguém tira a conclusão.
Coração, queres? Tudo enfada
Antes só sintas, coração.

Fernando Pessoa

 
At 2:47 da tarde, Blogger OlhoVivo said...

Não te conheço de lado nenhum mas isso de n teres amigos nem amigas...Tocou-me o coração. Eu namoro portanto isto não é conversa de engate. Caso queiras e utilizes o messenger do hotmail,podemos trocar de endereços electrónicos.
Acima de tudo, não te deixes afundar !!!!!

 
At 2:54 da manhã, Anonymous Anónimo said...

Sei exatamente o que sente muito embora, saiba que ja deva ter escutado isto por muitas vezes.Se houvesse algo capaz de mensurar carência, certamente, a minha seria o modelo de topo, bem por isso, talvez, não sei, é sinta tanta falta de amigos, como vc. Gostaria de poder me aproximar...Carol

 
At 10:04 da tarde, Anonymous Anónimo said...

Estou aqui! Não me vês ?
Sou a sombra do teu pensamento e cubro-te a memória da cabeça aos pés.

 
At 3:44 da manhã, Blogger Luciano said...

São todos muito interessantes e extremamente românticos seus poemas e textos.

Parabéns por expor tais sentimentos que, se figuram tão somente na personagem de um poeta, já terá nos valido a leitura de tão criativa invenção. Se não,parabéns novamente por esta capacidade que tens de amar. Sorte daquele ser que permitir que tal emanação de afeto lhe seja atingida.

 

Enviar um comentário

<< Home