Tempo de Solidão

"Tempo de solidão, tempo de exílio."

quinta-feira, julho 14, 2005

Agora

E no entanto, tendo escrito isto, tenho plena consciência de que nada mudará.

Palavras vãs, ocas. Tudo o que sou. Não foram palavras que te confortaram quando precisaste. Não foram palavras que me deram a conhecer aquilo que sinto por ti. Não foram frases que me entristeceram quando me achei só, nem foram pensamentos a preencher a minha alma quanto senti, mais uma vez, medo da solidão.

Estou farto de palavras, e sobretudo de não as poder proferir. Nem aqui, nem comigo, sei ser honesto. Palavras que podiam servir para algo em pessoa diferente. Significados certos e concretos que eu não sei aproveitar.

Sou ridículo, mesmo. Tanta letrinha junta e tão pouco consolo retiro disso. Foi nisto que me transformei.

2 Comments:

At 2:49 da tarde, Blogger OlhoVivo said...

Up, up, up. Quem escreve com tanto sentimento , não pode viver assimmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmm

 
At 10:21 da tarde, Anonymous raquel said...

há pessoas que tem o dom de tocar as outras pessoas...e tu tens esse dom.
é com essas letrinhas vãs e ocas que me tocam tao profundamente que a minha dor fica compreensivel por saber que há alguém algures que sente o mesmo que eu.
que nunca percas a capacidade de tocar os outros e que a solidao seja irradicada do teu coraçao e se isso nao for possivel que pelos menos seja partilhada.

 

Enviar um comentário

<< Home